Utilizando seguro saúde na Colômbia

por Thiago Luiz

26 de julho, 2015

Utilizando seguro saúde na Colômbia

Quando começamos a planejar uma viagem, muitas vezes (quase sempre) não pensamos no lado ruim que pode aparecer. Infelizmente não somos de "ferro" (ou somos?) e podemos ficar doentes a qualquer momento em qualquer lugar. Pode ser aquela comida que não estas acostumado ou até um dente quebrado. Por isso, sempre que viajei para o exterior adquiri um plano de saúde. Já aviso que esse post não é patrocinado, mas sim informativo, pois foi a primeira vez que necessitei usar o seguro e não sabia nem um pouco como proceder. Lembrando que: Seguro de viagem é DIFERENTE de Assistência de Viagem. No meu caso é ASSISTÊNCIA DE VIAGEM, isto é, eu NÃO pagarei nada para depois ser reembolsado (seguradora).

#E se eu não tivesse seguro? Simplesmente eu teria que arcar com TODOS os custos (que não é barato no exterior) pois na Colômbia - como grande parte do mundo - não existe atendimento gratuito para estrangeiros. Algo que o Brasil faz.. Se um colombiano passa mal por aqui, é atendido gratuitamente na rede do SUS. Além do mais que o seguro cobre dentista, extravio de malas, translado de corpo (cruzes!) e outras cositas más.

Utilizei assistência de viagem da Coris.

#Eu, doente? Então, já estava na minha segunda semana na Colômbia e já havia passado 5 dias na região sul e então já estava na capital Bogotá. Era uma sexta-feira e após a aula de espanhol senti uma necessidade enorme de ir pra casa e dormir. Senti muito frio e imaginei que era a febre chegando. Dormi até as 18h e liguei para meu amigo. Por mais que estava cansado e não muito bem, estava com fome. Logo, nos encontramos no Shopping Andino. Após comer e estar visualmente doente, meu amigo me convenceu a ligar para a seguradora. Porém, a mesma não havia número na Colômbia. MAS, como eu sou um cara precavido, eu tinha adquirido crédito para o Skype e, portanto, fiz a ligação para operadora pelo seu número do Brasil.

#Seguradora Meu primeiro contato com a seguradora por telefone foi rápido e em menos de meia hora a mesma me retornou indicando qual hospital deveria me dirigir. Porém, na primeira chamada, o telefonista faz uma "triagem" para averiguar se realmente necessitas atendimento. Só que para eles retornarem para você, você necessita estar com um número ativo. Como é caro o deslocamento em viagens para o exterior das nossas operadoras telefônicas, já tinha um número colombiano. Então, eles me ligaram no meu número e citaram que minha autorização foi aprovada e se encontrava no hospital.

@Clinica_del_Country Eu estaca esperando chegar em uma clínica privada (na verdade não há clinica públicas, como o nosso "postinho" na Colômbia), caindo aos pedaços e lotada. Engano meu! Eu simplesmente fui encaminhado para uma das melhores clínicas de Bogotá, a Clinda Del Country. Chegando no local, primeiro passei por uma triagem na enfermaria (achei uma graça as enfermeiras com modelitos dignos de filme de época), onde verificaram pressão, temperatura e identificação.  Após a triagem, sou identificado com uma pulseira e encaminhado para espera. Na espera é onde confirmo meus dados e autorização de atendimento. Ao ser chamado, a atendente confirmou a chegada da autorização pela Coris Colombia. (Na semana seguinte, precisei voltar porém a autorização não estava lá. Simplesmente liguei e a mesma atendente da assistência de viagem pediu que passasse o telefone para a secretária da clinica, na qual resolveu na hora o problema. Então percebi que a equipe Coris Brasil de assistência contava com equipe bilíngüe). Após a autorização, esperei ser atendido pelo médico. 

Seguro_Viagem_1

Sala de espera da Clínica Del Country: você já se sente no cêu.

#O atendimento Médico me chamou, foi atencioso e competente, ao ponto de eu tomar DUAS INJEÇÕES NAS NÁDEGAS. Sim, duas! Porém, tive uma rápida melhora e voltei para casa e fiquei sob medicamentos. Paracetamol e um para estômago, pois teoricamente peguei uma infecção alimentar. Fique ainda por uma semana sendo rei (rs) para meu estômago melhorar. Mesmo nas outras vezes que regressei, fui super bem atendido. A médica então.. Super atenciosa e me deixou calmo que não haveria nada demais. Como estava sem bactérias, vírus e vermes (sim, fiz exame de fezes), a única resposta para tudo era minha má alimentação e tolerância a lactose (estava comendo MUITA AVEIA, algo super comum para os colombianos - é vendido até na rua!!). Claro que regressei um dia numa quarta-feira e demorou um pouco mais... Porém, nada de negativo. 

Seguro_Viagem_3 Seguro_Viagem_2  

Após autorização, entrega dos documentos para apresentar aos médicos e enfermeiros + Identificação após triagem

#Pós-atendimento Vocês acreditam que 2 semanas depois recebi uma carta da clínica perguntando se eu estava bem? Uau!

#Dica Para dizer que vocês está se sentindo "fraco", diga débil. Flaco em español é magro. Lógico que eu soltei um "yo estoy flaco". HÁ!



Comente aqui

Thiago Luiz

Thiago Luiz, 30 anos, servidor público na área de engenharia. Um apaixonado por cidades que ainda não esteve e pelas pessoas que ainda não conheceu!

Mundo Desbravo nas Redes

Facebook

Instagram

Direitos do Autor

Todo o blog MUNDO DESBRAVO está protegido por direitos de autor, exceto quando se indique expressamente o contrário.