O voo da LATAM para o México (GRU x MEX)  e o processo migratório na Cidade do México

por Thiago Luiz

14 de dezembro, 2016

O voo da LATAM para o México (GRU x MEX) e o processo migratório na Cidade do México

O voo até a cidade do México foi realizado pela LATAM (executado pela TAM), portanto com a tripulação toda brasileira. Voo é noturno, com sua saída às 23h30 e chegada aproximada às 05h da manhã do dia seguinte na capital mexicana. Atualmente a LATAM oferece esse voo diariamente, como também, a Aeroméxico em horários similares. Comprei a passagem em promoção e saiu por R$ 1.325,57 já com as taxas. O voo de volta sai às 16h15 da Cidade do México, com chegada aproximada às 06h da manhã  seguinte em Guarulhos.

 

O aviões são Boeing 767-300 com classes Premium Business e Econômica, com a distribuição na econômica de 2x3x2, tornando os assentos não tão incômodos. A distância entre as poltronas também é razoavelmente boa para quem mede 1,75 como eu e é o mesmo avião que leva para Bogotá, na Colômbia. A duração do voo é de aproximada 09h30 e há serviço de jantar e café da manhã.

 

Na ida a tripulação era 100% feminina e atendimento dentro dos padrões, isto é, nada fora do normal, diferente do voo da volta, que, mesmo tendo dois comissários nada solícitos (onde escutaram eu falar para meu amigo que estávamos em assentos distintos e que ia tentar falar com a pessoa que sentasse ao meu lado para trocar e não fizeram ou falaram nada), os comissários que atenderam o corredor onde eu estava, atenderam excepcionalmente bem. Durante a madrugada do voo da volta, escutei um barulho alto vindo da asa e como o comissário estava passando na hora, me respondeu avisando que era o combustível indo de uma asa a outra.

 

A comida é padrão aviação, mas o do voo da volta estava um pouco mais fria que o usual, mas estava super boa a opção massa, que era um ravioli com recheio de queijo. A bebidas oferecidas são sucos, água com gás ou sem, vinho e cerveja. Se eu voltaria a viajar com a LATAM no trecho? Sim, pois me gosta a distribuição dos assentos e por ter tripulação falante em português. Terei com experimentar o trecho com a Aeroméxico para um veredicto.

 

Na Cidade do México, a retirada das bagagens é em locais distintos dependendo de onde você vem. América do Sul e Central são juntos, separados de Europa e EUA que são a parte. Porque será, né? Após retirada de bagagem, você passa pelo raio-x de inspeção onde precisa apertar um botão. Se  der verda, você necessitar abrir TODA a sua mala. Para quem voo LATAM, tem direito a embalar a mala com desconto no caminho para o Terminal 3 pela Protec BAG por 38 reais. Vale a pena!!

 

MIGRAÇÃO: meu amigo já havia me alertado que a migração na chegada ao méxico via capital é algo bem demorado. E foi! Além de ser uma bagunça, onde não há NINGUÉM instruindo sobre a formação de filas, o tempo de espera foi de aproximadamente DUAS HORAS em pé! O motivo: simplesmente atendem aproximadamente 04 ou 05 guichês. Como haviam chegados mais 2 ou 3 voos internacionais junto com o nosso, a entrada da área de migração bugou com tanta gente! Meu voo para Guadalajara era às 08h45 e até então estava tranquilo que chegar 05h da manhã daria tempo para migração e check-in. A sorte que não precisava trocar de terminal, pois já estava no Terminal 1 onde são todos os vôos, exceto da Aeroméxico que é no terminal 2. Quando cheguei ao balcão da VivaAerobus, já estavam fazendo chamada específica para o meu voo.

 

Sem título

Olha a bagunça!

 

Já sobre a entrevista na imigração, eu estava um pouco preocupado. No site do consulado brasileiro no México (http://cgmexico.itamaraty.gov.br/pt-br/), há a seguinte instrução:

 

Cidadãos brasileiros que viagem ao México a turismo ou negócios, por até 180 dias, não necessitam visto. É necessário, porém, contar com bilhete aéreo de ida e volta; cópia de voucher do hotel onde deverá ficar hospedada a pessoa (ou carta de cidadão mexicano que deverá hospedá-la, se for o caso), bem como comprovante de capacidade financeira para custear sua permanência no país (cartão de crédido, dinheiro em espécie ou travellers checks). O México não exige qualquer vacina de nacionais brasileiros para ingressar no país. É recomendável que o passaporte tenha, pelo menos seis meses, de validade (não obstante o fato de que, a rigor, as autoridades mexicanas exigem que o documento de viagem esteja válido apenas pelo prazo da viagem).

 

Como eu ia ficar em casa de pessoas pelo Couchsurfing, não teria a tal carta do mexicano sobre minha estadia e muito menos autenticada! A solução foi fazer reservas no Booking com opção de cancelamento gratuito. Logo, imprimi os comprovantes de todos os voos e de reservas. Levei meu crachá do trabalho e meus cartões de crédito. Dito e feito: a moça da migração me perguntou sobre onde ficaria e pediu pra ver somente os comprovantes dos trechos aéreos e comentou que se todos fossem como eu, seria mais fácil. Então fica a dica, leve tudo impresso.

 

No proximo post: relato da viagem com a low-cost mexicana VivaAerobus

Thiago Luiz

Thiago Luiz, 28 anos, servidor público na área de engenharia. Um apaixonado por cidades que ainda não esteve e pelas pessoas que ainda não conheceu!

Você gosta de viajar?

Mundo Desbravo nas Redes

Facebook

Instagram

Destaque

Destinos

Direitos do Autor

Todo o blog MUNDO DESBRAVO está protegido por direitos de autor, exceto quando se indique expressamente o contrário.